WhatsApp
Tragédia Familiar

Família ‘era calma e unida’, dizem vizinhos de suspeito de matar filho em Chapecó

Crime chocou o município nesta terça, quando a criança de três anos foi encontrada morta; avó está internada após sofrer ferimentos graves

16/01/2020 11h47
Por: Maico Zanotelli
Fonte: ND+
Willian Almeida
Willian Almeida

A morte de pai e filho dentro da própria casa na tarde desta terça-feira (14), chocou a cidade de Chapecó. Segundo o coronel Ricardo Alves da Silva, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, vizinhos das vítimas relataram que a família era calma, unida e não havia motivos aparentes para tamanha agressão.

Ao que tudo indica Fernando Prazido, de 31 anos, é o principal suspeito de matar o menino de três anos e agredir a mãe, Doralina Prazido, de 69. A mulher foi socorrida com ferimentos graves e está internada. A suspeita é que o homem tenha se matado depois do ocorrido.

“É um fato lamentável. Há pouco mais de dois meses nos deparamos com um fato semelhante, quando uma família foi encontrada morta dentro do próprio apartamento”, disse o coronel Ricardo da Silva, em entrevista à NDTV. O caso em questão é o da família morta no dia 6 de novembro, também em Chapecó.

Conforme o coronel, os próprios policiais militares que atenderam a ocorrência ficaram espantados com a quantidade de sangue espalhada pela casa.

O comandante revelou que a criança foi agredida com um altere, equipamento utilizado em academias.

Investigação 

A DIC (Divisão de Investigação Criminal) da Polícia Civil instaurou um inquérito policial para investigar o caso.

Ainda nesta terça-feira, peritos do IGP (Instituto Geral de Perícias) e agentes da Polícia Civil estiveram na casa da família. Eles colheram informações com testemunhas,  analisaram e recolheram os corpos.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários