WhatsApp
socioeducativos

Jovens e adolescentes debatem violência doméstica e familiar em unidades de atendimento socioeducativo

Os jovens e adolescentes das unidades de atendimento socioeducativos de 16 municípios de Santa Catarina debatem nesta semana sobre a violência doméstica e familiar de forma educativa.

13/08/2019 19h59
Por: Maico Zanotelli
Fonte: Oeste em Foco | Secom
Divulgação
Divulgação

Os jovens e adolescentes das unidades de atendimento socioeducativos de 16 municípios de Santa Catarina debatem nesta semana sobre a violência doméstica e familiar de forma educativa. A atividade integra a programação da campanha Agosto Lilás em Santa Catarina que se estende até 31 de agosto e faz alusão ao aniversário da Lei Maria da Penha (Lei n º 11.340).

“O objetivo é contribuir para a sensibilização e fortalecimento da importância da igualdade de gênero para construir uma sociedade mais igualitária. Além de eliminar todas as formas de violência contra mulheres e meninas nas esferas público e privada”, lembra a diretora de Direitos Humanos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, Karina Euzébio.

As dinâmicas reflexivas serão ministradas para 450 jovens em 27 unidades de atendimento dos Centros de Atendimento Socioeducativo (CASES), Centros de Atendimento Socioeducativo Provisório (CASEPs), Casas de Semiliberdade e Centros de Internação Feminina. São diversas atividades que abordam o a violência doméstica e familiar nos municípios de Blumenau; Caçador; Chapecó; Criciúma; Curitibanos; Florianópolis; Itajaí; Joaçaba; Joinville; Lages; São José; Rio do Sul; São José do Cedro; São Miguel do Oeste; Tubarão e Xanxerê.

Esta é uma ação intersetorial entre as secretarias de Estado do Desenvolvimento Social, Administração Prisional e Socioeducativa e Educação.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários