Iporã do Oeste - Com câncer, jovem grava vídeo de despedida meses antes de morrer

“Solange já te falei, viva sua vida, mãe, pai, irmãos, vivam suas vidas e bem, vocês são demais, aproveitem o máximo que vocês podem”, Alexandre Hilgert, 26 anos

Por Júnior Recalcati 20/09/2017 - 07:53 hs
Foto: Arquivo Pessoal

No último sábado (16) a família do Alexandre Hilgert, 26 anos, de Iporã do Oeste passou por um dos momentos mais difíceis que uma família pode passar, que é a despedida de um filho, irmão e amigo jovem. Ali como era carinhosamente chamado não conseguiu vencer o câncer, e, consciente de que sua vida seria breve pensou na família deixando vídeos gravados com mensagens se despedindo dos familiares, da namorada e agradecendo por tudo que teve a oportunidade de viver. Alexandre lutava pouco mais de um ano contra um câncer e sábado, após dias internado, ele partiu.

Nos vídeos que Alexandre guardou em seu computador em uma pasta à Família, Ali se despede de cada familiar, da mãe Lucia, do pai Mauri, dos irmãos Marco e Roberto e deixa mensagens de motivação também a namorada Solange. “Obrigado por tudo, não fiquem tristes, eu não estou triste, mãe, pai eu não estou triste, eu sei que vocês vão ficar, mas vocês tem que ser fortes, vocês são fortes, nós somos uma família forte. Pode acontecer com qualquer um. Solange já te falei, viva sua vida, mãe pai, irmãos, vivam suas vidas e bem, vocês são demais, aproveitem o máximo que vocês podem”, gravou em um dos vídeos. 

Marco Antonio o irmão mais velho de Ali conta que como os médicos haviam comunicado a família que o Ale não sobreviveria à doença, o primo Junior Wutke queria algumas fotos para fazer homenagens e foi quando encontrou os vídeos dedicados a família. “Ele foi até a casa do Ali e junto com a Solange, namorada do Ali acharam uma pasta no computador que dizia "Para a Família", abriram e lá estavam dois vídeos, um mais para a família e outro para a namorada, o Junior foi logo após no hospital contar para o Ali que havia achado o vídeo e que ele podia descansar, foi então que no outro dia o Ali partiu”, conta.

Marco que há poucos dias se despediu de seu irmão diz que Ali era simplesmente maravilhoso, incrível, pessoa disposta a ajudar sempre, de bom humor, feliz. “Mais que irmão, amigo, ele adorava crianças, tanto que trabalhava com elas, ele nunca negou ajuda à alguém. Tocava violão e cantava todos os dias, não tinha tempo ruim e ainda arrumava tempo para ajudar o pai na granja”, lembra.

A luta contra o câncer

Alexandre sofria de um câncer no cérebro nível 4 (glioblastoma). O tumor foi descoberto em fevereiro de 2016, os sintomas apareceram durante um acampamento que fazia com seu pai. No dia sentiu mal estar, dor de cabeça, náuseas e por conta disso precisou voltar para casa antes do esperado. Em casa Alexandre continuou com os sintomas e chegou a sofrer um desmaio. “Era para ser apenas uma enxaqueca”, conta o irmão Marco Antonio Hilgert. Após vários exames, a resposta veio em um dos exames feitos em Chapecó, Alexandre estava com um tumor. A tentativa para a cura foi uma cirurgia realizada em 04 de junho de 2016 em Passo Fundo (RS).

A luta de Alexandre estava apenas no começo, após a cirurgia vieram as sessões de quimioterapia e radioterapia em que Ali sempre era acompanhado de sua mãe Lucia Hilgert e da namorada Solange. Alexandre que tinha 26 anos era música, vivia a música, foi professor de violão e mesmo durante todo seu tratamento ele continuou com as aulas. “Até o aniversário dele que era dia 25 de março deste ano ele estava bem, deu aula pela manhã e depois comemorou o aniversário reunindo todos os familiares, ele cantou tocou violão, foi uma festa muito bonita e alegre, à noite já bem cansado ele ainda reuniu os amigos para comemorar o aniversário, partir daí ele foi piorando”, recorda Marco.

A família fez tudo que podia para tentar salvar Ali, Marco conta que foram usados inclusive métodos naturais. “A gente fez de tudo, usamos muitas coisas naturais, uma que mais chama atenção é o Álcool Perílico que ainda está em fase de testes, conseguimos um contato com um médico do Rio de Janeiro que nos enviou esse produto”, conta. Ele explica que esse Álcool é extraído das frutas cítricas, e tem por principal finalidade de abrir o caminho para que a quimioterapia faça mais efeito.

Em seus últimos dias de luta, Alexandre passou por pelo menos três internações, em uma delas passou por 28 dias no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso em São Miguel do Oeste e nos últimos três dias de vida esteve internado no Hospital Nossa Senhora das Mercês em Iporã do Oeste. Sua despedida foi muito emocionante na cidade em que vivia, Iporã do Oeste, muito querido por todos recebeu diversas homenagens e carinho à família que se despedia de um filho querido. “O Ali gostava de música, todos os estilos, Luan Santana era um dos ídolos dele, uma das musicas que ele gostava e ensinou aos alunos é "É preciso saber viver" as recentes que ele mais ouvia e gostava é "Impressionando os Anjos do Gustavo Mioto”, revela Marco.

Fonte: WH3